Estrutura de Capital

As principais métricas de liquidez e financeiras para avaliar os negócios da Companhia são revisadas regularmente pelos diretores da Companhia e são descritas abaixo:

Em 31 de dezembro de 
Estrutura de Capital (em R$ mil, exceto índices) 31/12/2020 31/12/2019 31/12/2018
Patrimônio Líquido 303.236 284.946,00 368.652
Passivo Total 824.738 451.404 216.416
Ativo Total 1.127.974 736.350 585.068
% Capital Próprio 27% 39% 63%
% Capital de Terceiros 73% 61% 37%
Caixa e Equivalentes de Caixa 143.657 181.103 305.009
Títulos e Valores Mobiliários  –  – 2.632,00
Aplicações financeiras restritas 22.921 70.036 12.913
Índice de Endividamento 2,72 1,584 0,587
Índice de Liquidez Geral 1,346 1,599 2,676
Índice de Liquidez Corrente 2,93 2,41 6,95
Índice de Liquidez Seca 1,014 1,533 5,427
Dívida Líquida 143.657 181.103 305.009
% Dívida Líquida / PL -47% -64% -83%
ROE 13% 8% -4%

 

O aumento do índice de endividamento notado em 30 de setembro de 2020 e 31 de dezembro de 2019 é decorrente, principalmente, dos passivos gerados pelas aquisições a prazo de novos terrenos nestes dois períodos e pelos dividendos complementares deliberados em dezembro de 2019.

Comentários dos Diretores sobre a estrutura de capital

A diretoria da Companhia acredita que a estrutura de capital da Companhia é adequada para atender às demandas e necessidade de suas operações e para continuar executando o seu plano de negócios.

A Companhia não contratou financiamentos nos exercícios sociais encerrados em 31 de dezembro de 2020, 2019 e 2018, financiando suas operações com capital próprio e recursos gerados pelas suas operações. Desta forma, a Companhia não apresenta dívida com instituições financeiras em 31 de dezembro de 2020, 2019 e 2018, sendo os principais passivos constituídos pelas obrigações assumidas com as aquisições de terrenos.

Em 31 de dezembro de 
(em R$ mil, exceto %) 2020 2019 2018
Recursos financeiros 166.578 251.139 320.554
Total do passivo 824.738 451.404 216.416
Recursos financeiros /Total do passivo 20,2% 55,6% 148,1%

O principal motivo para as seguidas reduções notadas nos saldos de recursos financeiros nas datas-bases de 31 de dezembro de 2020, 31 de dezembro de 2019 e 31 de dezembro de 2018, foi a aplicação do caixa no contínuo aumento das operações da Companhia nestes exercícios, notadamente nos imóveis em construção e aquisições de terrenos, como pode ser também verificado na análise da demonstração dos fluxos de caixa.